terça-feira, 19 de agosto de 2014

Profecia fala sobre a eleição de uma mulher “segundo o coração de Deus”

Profecia fala sobre a eleição de uma mulher “segundo o coração de Deus”Profecia fala sobre a eleição de uma mulher cristã
A escolha do PSB de colocar Marina Silva no lugar de Eduardo Campos para concorrer ao cargo de Presidente do Brasil fez com evangélicos se lembrassem de uma profecia proferida na Conferência Dunamis de 2011.
Durante sua pregação o pastor Bob Hazlett teve uma visão a respeito da política brasileira dizendo que via uma mulher sendo controlada por um homem como se fosse marionete. “Ela era sua marionete, e ele falava ‘ela vai fazer o que eu mandar ela fazer’. Mas eu vi então a palavra do Senhor vir como se fosse uma espada que começou a cortar as cordas dessa marionete”, disse o pastor.
Mas a profecia não parava por ai, Bob Hazlett também viu que Deus mudaria o controle da nação. A visão que ele teve mostrava o Brasil respirando ligado em aparelhos, Deus então desligava as máquinas e dizia que o país voltaria a respirar normalmente.
“Eu vou soprar sobre esta nação novamente”, disse me profecia o pastor do Ministério Touch of Fire. “Eu vi Deus levantar homens e mulheres de Deus, cheios do Espírito, cheio do Seu sopro que vão começar a abalar esta nação”.
A visão também falava claramente sobre levantar mulheres na política, falando diretamente para uma que seria “segundo o coração de Deus” que vai se ajoelhar diante de Deus que vai abalar a nação brasileira e levá-la para uma época de prosperidade.
“Ele removerá o espírito de Mordecai, que tem tentado controlar as mulheres desta nação, e Ele levantará uma mulher segundo Seu coração, e Ele abalará a nação, levando-a para uma temporada de prosperidade mesmo enquanto outros países enfrentarem crise”, profetizou o pastor.
Em junho passado a profecia de Bob Hazlett foi lembrada por conta das manifestações popularesque exigiam melhora da política nacional, manifestações que começaram com a reivindicação de estudantes contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo e acabou se espalhando por todo o Brasil criticando a corrupção.
Assista;



video


sábado, 19 de abril de 2014

Quanto Jesus sofreu? Relatório médico de morte por crucificação.

Quanto Jesus sofreu? Relatório médico de morte por crucificação

Quando se reconstitui os aspectos médicos da crucificação de Jesus, o resultado é um quadro brutal e vívido do que Jesus sofreu para salvar as pessoas do pecado.
Em 1986, a Revista da Associação Médica Americana publicou uma série de artigos que examinava a prática da tortura. O primeiro artigo foi intitulado “Sobre a Morte Física de Jesus Cristo,” escrito pelo Dr. William D. Edwards, Dr. Wesley J. Gabel e Dr. Floyd E. Hosmer.
“O artigo foi um relatório do evento possivelmente mais influente de tortura da história com análise fisiologicamente confiável que mostrava a dor horrível de um comum castigo romano da antiguidade,” o editor George Lundberg mais tarde escreveu em defesa do conteúdo polêmico.
Inspirando-se no relato que a Bíblia faz da crucificação, a evidência arqueológica e documentos históricos, combinados com o estudo moderno, o artigo tinha como meta “reconstituir os prováveis aspectos médicos dessa forma de execução lenta” (1460). O resultado foi uma explicação brutal e vívida do que Jesus sofreu para salvar as pessoas pecado
Morte excruciante
Isso é o que fizemos com o Deus do universo, conforme o artigo descreve:
* “Embora os romanos não tivessem inventado a crucificação, eles a aperfeiçoaram como forma de tortura e pena capital que tinha o objetivo produzir uma morte lenta com máxima dor e sofrimento” (1458).
* “Para os açoites, o homem era despido de suas roupas, e suas mãos eram amarradas a uma coluna erguida. As costas, as nádegas e as pernas eram açoitadas por dois soldados (lictores) ou por um que alternava posições. A gravidade dos açoites dependia da disposição dos lictores e tinha o objetivo de enfraquecer a vítima a um estado à beira do colapso ou morte” (1457).
* “À media que os açoites continuavam, as lacerações dilacerariam até alcançar os músculos esqueléticos subjacentes e produziriam tiras tremulantes de carne ensanguentada” (1457).
* “Quando os soldados rasgaram as vestes das costas de Jesus, provavelmente eles reabriram as feridas de açoites” (1458).
* “O prego fincado esmagaria ou deceparia o nervo mediano senso-motor um tanto grande. O nervo estimulado produziria ‘relampejos’ excruciantes de dor ardente em ambos os braços” (1460).
* “Exalação adequada exigia levantar o corpo flexionando os pés e os cotovelos e aduzindo os ombros. Contudo, essa manobra colocaria o peso inteiro do corpo nos calcanhares e produziria dor intensa. Além disso, a flexão dos cotovelos faria a rotação dos pulsos em volta dos pregos de ferro e causaria dor ardente ao longo dos nervos medianos danificados” (1461).
* “Já que expressões verbais ocorrem durante a exalação, essas expressões curtas [as palavras de Jesus na cruz] devem ter sido particularmente difíceis e dolorosas” (1462).
Em resumo, “A morte por crucificação era, em todo sentido da palavra, excruciante (em latim, excruciatus, ou ‘da cruz’)” (1461). Mas a morte violenta, dolorosa, sacrificial, corajosa e humilde de Jesus não é o único ato mais horrendo do homem pecador que o mundo já conheceu — é também o maior ato de amor demonstrado por nosso Deus bom e justo.
Não uma vítima impotente
É tentador olhar para o Jesus crucificado com piedade condescendente e sentir pena de Seu sofrimento brutal. Contudo, por respeito à dignidade de Jesus, precisamos resistir a essa tentação, pois Jesus não morreu como mais uma vítima impotente. Em vez disso, com a cruz no horizonte de Sua vida, Jesus disse que ninguém tiraria Sua vida dEle em derrota. Pelo contrário, Ele disse que Ele a daria e tomaria de novo em vitória (John 10:18).
Uma testemunha desses acontecimentos assombrosos foi um jovem chamado João, que nos ajuda a compreender a morte de Jesus como um ato de amor: “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados” (1 João 4:10 NVI).
Feliz Páscoa.
Fonte; Júlio severo

sábado, 8 de março de 2014

Máscaras

Somos chamados a interpretar, nesta vida, diversos papéis e nem sempre apresentamos o rosto que somos.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Quando estudei na Academia de Televisão, aprendi na arte de condução de atores, a manifestação de certas emoções nos rostos, a fim de obter uma realidade  que expressasse, por exemplo, alegria, ódio, tristeza, raiva, serenidade, dúvida, medo e muitas outras que se podem observar.
Vem isto a propósito de termos alguma dificuldade, em manifestar, aquilo que realmente vivemos, porque receamos não sermos aceites senão usarmos o disfarce da fantasia das máscaras para melhor sermos aprovados.
Quem nunca sentiu dificuldade ao apresentar condolências pelo falecimento de um ente querido? Por esta razão, é que no Oriente se contratam carpideiras a fim de que emprestem uma emoção de grande pesar  pelo choro, e assim se consiga um ambiente de tristeza.
Pior que isto é que nas igrejas se procure,  através de cânticos de alegria, criar um ambiente favorável quando na verdade é a tristeza, a falta de paz, a incredulidade que impera em alguns dos corações das mulheres e dos homens.
A vida cristã, exige, acima de tudo a Verdade e não a fantasia das máscaras, nos rostos que procuram expressar sorrisos amarelos, com olhos tristes.
A ministração do louvor a Deus deverá, por este motivo, seguir a linha do Templo, a saber:
O Átrio, o lugar Santo e o Santo dos Santos.
No Átrio, é o primeiro encontro com Deus e com os homens. É neste lugar que se perdoa e que se concede perdão. Por esta razão é que Jesus ensinou que todo aquele que vier ao Templo e tiver alguma questão com um irmão deverá deixar a oferta sobre o altar e procurar reconciliar-se com o irmão. O ato de perdoar e de pedir perdão é o caminho da libertação, porque para Deus as injustiças do homem nunca poderão ser caminhos de paz.
No lugar Santo, sobre o altar, havia uma taça de vinho que simboliza a alegria, os pães da preposição e o candelabro. Todos estes objetos representam a comunhão dos irmãos, em Verdade.
No Santo dos Santos onde só era permitida a entrada do sumo sacerdote,  uma vez ao ano, que também aspergia o sangue sobre a Arca da Aliança representa, na Nova Aliança, a adoração a Deus em Espírito e em verdade.
O encontro do homem com o Deus vivo, não permite o uso de máscaras para simular uma aparência, que não corresponda à realidade do que verdadeiramente somos.
O carnaval brasileiro, é uma festa popular em que os tristes e amargurados de coração, procuram pela fantasia de máscaras, expressar uma alegria bem efemora, porque tudo acaba na quarta-feira de cinzas.
Sabemos que, o prazer pouco dura e que a alegria do Senhor nos corações das mulheres e dos homens, é como uma fonte de águas vivas que brotam do interior de nós para fora e que com o rosto transfigurado, pela presença de Deus em nós, refletimos a imagem do Senhor, como pelo Espírito.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Como posso criar um criminoso?

A Bíblia nos ensina em Provérbios 22.6: "Ensina a criança no caminho que deve andar, e ainda quando for velho não se desviará dele." A chefia de polícia de Houston, Texas (EUA), publicou as seguintes diretrizes irônicas sobre a educação de filhos:

Como posso conduzir meu filho a caminhos errados?

  1. Desde pequeno, dê ao seu filho tudo que ele deseja.
  2. Ache graça quando seu filho disser palavrões, pois assim ele ficará convencido da sua originalidade.
  3. Não lhe dê orientação espiritual. Espere que ele mesmo escolha "sua religião" depois dos 21 anos de idade.
  4. Nunca lhe diga que ele fez algo errado, pois isso poderia deixá-lo com complexo de culpa.
  5. Deixe que seu filho leia o que quiser... A louça deve ser esterilizada, mas o espírito dele pode ser alimentado com lixo.
  6. Arrume pacientemente tudo que ele deixar jogado: livros, sapatos, meias. Coloque tudo em seu lugar. Assim ele se acostumará a transferir a responsabilidade sempre para os outros.
  7. Discuta freqüentemente diante dele, para que mais tarde ele não fique chocado quando a família se desestruturar.
  8. Dê-lhe tudo em comida, bebida e conforto que o coração dele desejar. Leia cada desejo nos seus olhos! Recusas poderiam ter perigosas frustrações por conseqüência.
  9. Defenda-o sempre contra os vizinhos, professores e a polícia; todos têm algo contra seu filho!
  10. Prepare-se para uma vida sem alegrias – pois é exatamente isso que o espera!
Quem "educar" seus filhos dessa maneira, realmente deve esperar anos difíceis, pois a Bíblia diz em Provérbios 29.15b: "...a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe". Aquele, entretanto, que seguir a Palavra de Deus na educação, experimentará o que diz Provérbios 29.17: "Corrige o teu filho, e te dará descanso, dará delícias à tua alma."
Fonte Chamada meia noite.