segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

A desgraça e a graça

"Bendito seja Deus, que não me rejeita a oração, nem aparta de mim a sua graça.” (Sl 66:20)

A desgraça não avisa quando chega; a graça não chega, pois está sempre presente. A desgraça quer envergonhar; a graça quer glorificar. A desgraça diz: “amaldiçoa a Deus e morre!”; a graça diz: “bem e mal são a mesma coisa, quando vindos de Deus para seus filhos”.

A desgraça é um mar revolto; a graça é um porto mais que seguro. A desgraça é uma nuvem negra; a graça é a luz bendita de um farol. A desgraça adoece o corpo e desanima a alma; a graça cura o corpo e restaura a alma.

A desgraça trás a angústia e o desespero; a graça trás a confiança e a esperança. A desgraça nos faz fugir tomados de medo; a graça lança fora todo medo e nos faz fugir para os braços do Pai.

A desgraça nos afasta da Santa Palavra; a graça nos aproxima das Sagradas Letras. A desgraça nos faz esfriar o amor; a graça nos faz transbordar de amor. A desgraça nos faz esquecer que cometemos pecado; a graça nos faz lembrar que devemos pedir perdão. A desgraça nos faz perguntar “por quê?”; a graça nos faz perguntar “para que?”.

A desgraça grita em revolta; a graça aquieta no silêncio da fé. A desgraça nos faz perder a fé; a graça nos faz aumentar, robustecer e entender a fé. A desgraça nos faz esquecer as bênçãos; a graça nos traz à memória o que pode nos dar esperança.

A desgraça é concedida os soberbos; mas a graça é concedida aos humildes. A desgraça toma o que não é seu; a graça restitui, dá de graça o que de graça recebeu. A desgraça é o produto dos nossos próprios atos; a graça é produto da bondade de Deus.
A desgraça transmite palavras torpes; a graça é transmitida pelas boas palavras dos salvos. A desgraça quer respostas aprontas e imediatas; a graça nos faz esperar e confiar, pois todas as respostas serão dadas na revelação de Jesus Cristo.

A desgraça veio a todos os homens para a condenação eterna; a graça veio sobre todos os homens eleitos para a justificação que dá vida eterna. A desgraça é um coração infiel que não se dobra a Cristo; a graça é um coração contrito buscando a Deus e se entregando a Cristo.

A desgraça deixa Deus “pequeno” e os problemas, grandes; a graça mostra Deus como ele é, e os problemas ficam pequenos. A desgraça me separa de Deus; a graça diz que nada me separará do amor de Deus que está em Cristo Jesus.
A desgraça ataca e destrói impiedosamente; mas a graça... me basta.

“Transbordou, porém, a graça de nosso Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus.” (1 Tm 1:14)
Fonte: Ultimato

Um comentário:

Amanda Lemos disse...

Gostei muito do que vi !
Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...

http://bolgdoano.blogspot.com.br/

Agradeço desde já !