quarta-feira, 8 de setembro de 2010


Igreja ignora advertências e mantém plano de queimar o Alcorão


ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA – Uma igreja evangélica da Flórida (sudeste dos Estados Unidos) anunciou nesta terça-feira que queimará o Alcorão no aniversário dos atentados de 11 de setembro, apesar das advertências e dos pedidos da Casa Branca, do Vaticano, do Irã e do comandante das tropas internacionais no Afeganistão.

A igreja batista Dove World Outreach Center, criada em 1986 e localizada em Gainesville (Flórida, sudeste), prevê queimar o livro em público no nono aniversário dos atentados e defende instaurar o dia internacional da queima desse livro muçulmano.

“Estamos firmemente determinados em fazê-lo”, disse à CNN o pai da iniciativa, Terry Jones, pastor da igreja.

“Sabemos que este ato poderá efetivamente ofender (…), mas acreditamos que a mensagem que tentamos transmitir seja muito mais importante que o fato dessas pessoas se ofenderem. Acreditamos que não devemos retroceder diante dos perigos do islã”, completou.

O general americano David Petraeus, comandante em chefe das forças da Otan e das tropas americanas no Afeganistão, avisou que o ato serviria de propaganda aos talibãs no Afeganistão e reforçaria o sentimento antiamericano no mundo muçulmano.

“Estou muito preocupado com as possíveis repercussões”, disse Petraeus. “Poderá colocar em perigo tanto as tropas como o esforço global no Afeganistão. É precisamente esse tipo de ação que os talibãs utilizam e poderá gerar problemas significativos”, completou o general.

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, concordou com Petraeus. A queima do Alcorão “coloca nossas tropas em uma situação perigosa”.

O Osservatore Romano, o jornal do Vaticano, publicou um artigo cujo título era “Que ninguém queime o Alcorão”, enquanto o Irã advertiu que o ato poderá provocar reações “incontroláveis”.

“Aconselhamos os países ocidentais a impedir a exploração da liberdade de expressão para insultar livros sagrados, caso contrário os sentimentos provocados nas nações muçulmanas não poderão ser controlados”, afirmou o porta-voz do Ministério de Assuntos Externos iraniano, Ramin Mehmanparast.

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Philip Crowley, qualificou a ideia de “provocadora, desrespeitosa e intolerante”.

Na Indonésia, país com maior população muçulmana no mundo, a minoria cristã também teme tensões.

A organização que reúne 20.000 igrejas cristãs protestantes da Indonésia enviou uma carta ao presidente Barack Obama para que ele intervenha no caso.


Pedidos de oração:

- Ore para que ao americanos permaneçam civis no debate a questão da queima, já que, se feita, ocasionará em consequências graves aos cristãos no mundo muçulmano.

- Ore para que o Senhor traga sabedoria e entendimento sobre as atitudes da Igreja da Flórida aos cristãos que trabalham com os muçulmanos.

- Ore para que o Senhor proteja aqueles que não estão envolvidos mas são vítimas de atitudes erradas.

- Ore para que haja tolerância cristã e o amor de Jesus seja manifesto pelo perdão aqueles que não se recuperaram dos ataques de 11 de setembro.

Fonte: Underground

2 comentários:

O Reino em nós disse...

Oi mano,

Passei por aqui para conhecer seu blog e seguir.
Faço um convite para conhecer o meu e seguí-lo.

Abraços em Cristo,

Sandro
http://oreinoemnos.blogspot.com/

Nil França disse...

Paz pastor! obrigada pelo carinho de boas vindas! Me segui aí...
http://semearatitude.blogspot.com/